A origem dos macarons

Você sabia que o macaron teve sua origem na Itália?

Esta delícia somente chegou na França no século XVI, levado pela corte pela também italiana  Catarina de Médicis, que chegou a se tornar rainha consorte francesa. Os primeiros macarons feitos em solo francês foram elaborados pelas irmãs do convento Saint-Sacrement e sua receita era mantida à sete chaves. Somente após a revolução francesa, o macaron passou a ser produzido fora dos muros dos conventos.

No início o doce era servido apenas como um biscoitinho. Sua versão atual foi criada pelo patisseur Pierre Desfontaines no início do século XIX que resolveu unir dois biscoitos com diferentes tipos de recheios.

Macarons

Anúncios

Du vin rouge ou du vin blanc, monsieur?

Paris, França. Dia chuvoso, 12º Celsius e uma vontade imensa de degustar um Cabernet Sauvignon genuíno. E hoje, iremos conhecer um pouco mais de um concurso que praticamente todos os países produtores desta casta fazem todos os anos de boa vindima.

Não gosto muito de acreditar que produtos regionais podem ser ou ter as mesmas essências, adjetivos e características similares em outras partes do mundo. Portanto, para mim ao menos, um Cabernet Sauvignon melhor ao tradicional francês seria apenas uma questão de gosto. E isso eu não discuto nunca. Especialmente por esta casta retratar de melhor forma as características de cada solo onde foi plantada, cada Cabernet Suavignon leva seu DNA local, não sendo tão importante apontar a melhor.

A casta Cabernet Sauvignon é reconhecida por muitos, a rainha mãe dos tintos, com sua potência moderada, graciosidade, e aromas únicos. Nasce do cruzamento das castas Cabernet Franc com a Sauvignon Blanc, tendo seu nome aparecendo em registros antigos sobre a enologia em finais do século XVIII.

Geneticamente muito fértil e versátil, teve sua adaptação praticamente no mundo todo, imigrando com louvores para a América do Norte, Chile, muito usada em cortes no Brasil e aqui na Europa.

Beringer-Cabernet-Sauvignon-Knights-Valley-Reserve

E meio distraído aos concursos de melhor Cabernet Sauvignon do mundo, sei apenas que o vinho Beringer Cabernet Sauvignon Knights Valley-Reserva 2009 da Califórnia, recebeu 94 pontos pela revista de vinhos Wine Spectator e ocupou um excelente oitavo lugar no top 10 dos melhores do mundo do ano de 2012.

Quanto a mim, gosto mais da ideia de dar luz a minha taça e me levo até um dos acessos da torre Eiffel e faço um brinde à cidade mais romântica do mundo. Peço um brinde aos apaixonados, ao bom gosto, ao bom humor e ao amor, que chega assim sereno e inesperado e que nos faz brindar e sorrir sozinho.

Um brinde ao amor e a Paris, que me fez fechar os olhos e dizer assim bem baixinho:

Tim-tim…

Bye e até breve,

David Chaves Saraiva.

Facas Laguiole

Berço da mais tradicional cutelaria francesa, empresa aposta na inovação para superar a concorrência.

Laguiole-fromage-2

Apesar de estar escondida no interior da França, a cidade de Laguiole tem fama internacional. Ela é berço da indústria da mais tradicional e exclusiva faca francesa, que leva o nome da região.  Nas mesas dos restaurantes, um item não pode faltar: as facas da marca Forge de Laguiole.

A tradição nasceu há dois séculos e movimenta a economia da cidade, mas vem perdendo suas raízes devido à ganância de muitos empresários. No centro de Laguiole, muitas lojas vendem facas com a mesma forma e o nome das originais, mas que não necessariamente foram produzidas no vilarejo. A marca não foi registrada e não existe um sistema de denominação de origem controlada para proteger os produtos locais.

“Uma faca da Forge de Laguiole custa 40 euros e uma chinesa ou paquistanesa pode ser comprada por dois euros. Algumas lojas vendem uma faca importada pelo preço francês com o único objetivo de ganhar dinheiro a qualquer custo”, afirma Thierry, que largou o cargo de alto executivo em uma multinacional para comprar a empresa, que saiu da falência e hoje fatura mais de nove milhões de euros.

Antes de se reerguer, porém, a Forge de Laguiole foi vítima do próprio sucesso. Na década de 90, o designer Philippe Starck redesenhou alguns modelos da marca e as peças viraram ícones da cutelaria sofisticada e moderna. Não demorou para que as facas começassem a ser copiadas. Agora, a empresa combate a concorrência desleal com inovações. A cada ano, um grande nome do design é convidado a criar novidades.

fonte: g1.globo.com