Dicas de Lima, Peru

Acabo de chegar de Lima, onde passei 4 dias, e tenho que dizer que fui surpreendido pelo que vi. Explorando as rotas turísticas da cidade, você acaba descobrindo tesouros secretos e aventuras emocionantes que tornam Lima um destino de férias encantador.
Como muitas cidades turísticas, Lima também tem seus problemas com pequenos crimes. Crimes violentos contra turistas são raros, mas furtos são muito comuns. Esteja sempre alerta para aos oportunistas de plantão e nunca deixe objetos de valor amostra.
Algumas áreas do Lima são mais seguras do que outras. Nos bairros de Miraflores e San Isidro, parte nobre de Lima, há muitos turistas e a presença de policiais é frequente. Outros bairros como La Victoria não são seguros. É recomendado aos visitantes ficar longe dessas áreas se não estiverem acompanhadas por pessoas que conhecem bem a área.
lima2
Nas ruas cruzamos com turistas de todos as partes do planeta, inclusive muitos hippies encontram ali o seu espaço para viver dos seus artesanatos, e onde encontram também suas razões para continuar caminhando até encontrar seus “lugares ao sol”, assim como um americano que me ofereceu um par de sandálias indianas, e disse que resolveu vir para a “selva” para purificar sua alma das drogas. Muitos turistas também procuram a cidade para explorar esportes radicais tais como Surf, voo de parapente, rapel etc.
A culinária peruana pode ser definida em uma palavra, ceviche : peixe marinado no limão durante cinco segundos, temperado com pimenta ardida, cebola roxa e coentro. Encontramos Cevicherias em Lima em “cada esquina”. Eu não sou muito fã de peixes, ou qualquer tipo de vida vindo do mar, por isso, durante os meus dias na cidade, preferi fazer minhas refeições nas centenas de Chifas ( termo usado no Peru que se refere a cozinha chinesa) ou em locais de fast-food.
Lima é uma cidade enorme e é difícil conhecé-la em um só dia. Seus bairros são muito distintos.
A região central, que abrange a Plaza de armas, rodeada pelo Palacio do Governo, catedral de Lima e Palacio Municipal, com edifícios construídos entre os séculos XVI e XVII no clássico estilo barroco colonial e que acolhem muitas obras de arte barroca.
O bairro de Chorillos se desenvolveu em torno do novo porto . Uma caminhada ao longo do cais e a oportunidade de relaxar em um dos cafés no porto ou em uma das praias próximas, pode ser um ótimo programa para os fins de tardes.
O bairro de miraflores, provavelmente o mais visitado, devido ao charme e beleza, com vista para o oceano pacifico, onde encontram-se os famosos mosaicos coloridos no Parque do Amor. A região é muito florida e limpa, e é também um centro cultural, com teatros, cinemas e galerias de arte.
Lima oferece muitas oportunidades de entretenimento e lazer, na minha opinião, o bairro Barranco é o melhor lugar para quem procura diversão, lazer e cultura. Barranco é onde estão localizados as melhores boates, bares, casas de shows ao vivo, danças, feiras de livros e de artesanatos e também o museu Pedro de Osma, que exibe coleções de arte colonial.
O transito em Lima, só perde para a Índia. É bem congestionado, e o povo não parece fazer nenhum esforço para torná-lo melhor. Assim que cheguei, peguei um taxi, e em menos de 10 minutos me deparei com uma ambulância em alta velocidade se chocando contra o carro em que me encontrava. Por sorte não sofremos nenhum ferimento. Ao deixar o país, com muito medo, pois o taxista parecia não ter pena do carro que dirigia e até subia em canteiros centrais para convergir. Eu, com um olho lia no jornal, por acaso uma sobre a “Campaña No merezco mi brevete” (Campanha Não mereço minha carteira de motorista) onde os Inspetores dos municípios e Agentes de Policia iriam começar a ser mais rígidos com os infratores da lei de transito, e com o outro olho ficava atento para qualquer “eventualidade”.
Bem, essas foram minhas impressões de Lima, até a próxima!
Raphael Martins
Anúncios

Os 5 passos para o sucesso do restaurante

Daniel Miranda

Você sabia que cerca de 35% dos restaurantes fecham em menos de 1 ano após a abertura? E que apenas 3 entre 100 estabelecimentos conseguem alcançar os 10 anos? Abrir um bar ou restaurante é o sonho de muita gente, mas não é tão simples assim. Aqui vão algumas dicas para que você possa ter sucesso na realização deste sonho!

1. Saber exatamente o que quer

Não é porque determinado tipo de restaurante está dando certo que abrir um do mesmo segmento será sinônimo de sucesso. É preciso planejamento e marketing. Pesquisa de mercado, localização e público alvo. Cuidado com a “modinha”!

2. Seleção 

Antes de inaugurar uma casa é muito importante acertar na seleção. Carregar bandeja, abrir uma garrafa de vinho ou preparar coquetéis, não é nenhum bicho de sete cabeças. Hoje em dia a maioria das pessoas quando vão ao restaurante, procuram muito mais do que o simples ato de se alimentar. Elas vão em busca de uma experiência, onde o ambiente e principalmente o serviço fazem toda a diferença. Pense bem… Você prefere ser atendido por uma pessoa que sabe servir um refrigerante ou por alguém que torne seu almoço ou jantar em um momento especial? Selecione colaboradores com atitude positiva!

3. Treinamento

Após a seleção vem o treinamento. Muitas casas ao contratar jogam a pessoa no salão, entregam um bloco e uma caneta e mandam atender as mesas. A falta de segurança gera um serviço de baixa qualidade. O treinamento deve ser constante. Amabilidade, postura, regras de serviço e etiqueta devem ser sempre cobradas. Procure reservar um tempo diário ou semanal para apresentação dos pratos, degustação de vinhos e coquetéis e trazer novidades da gastronomia. Entrevistas, matérias com pessoas do ramo. Enfim, treinamento e motivação nunca são demais. Transforme simples anotadores de pedidos em grandes vendedores!

4. Produto

Procure utilizar produtos de qualidade e se possível da estação que gerem um preço justo ao cliente e lucro ao estabelecimento. É sempre importante estar antenado ao mundo da gastronomia para criar e renovar o cardápio. Seja sempre honesto! Muitas casas utilizam produtos que não condizem com os que estão escritos no cardápio. Uma hora a casa cai!

5. Administração

Procure administrar despesas e não lucros. De nada adianta a casa faturar 200 mil, tendo 200 mil com gastos. Saiba negociar, comprar, receber, estocar, e precificar. O estoque e o caixa são o coração do negócio. O olho do dono que engorda o boi!

carta_vinho

Dicas de Singapura

Raphael Martins

Singapura é uma cidade-estado que se espalha sobre uma área pequena que consiste de 63 ilhas. Quando falamos de Singapura inevitavelmente pensamos em um caldeirão de raças e culturas bem sucedidas . O horizonte da cidade é dominado pelos arranha-céus do Central Business District em vidro e cimento, suas ruas são perfeitamente limpas e o transporte público e provavelmente mais pontual que os Britânicos.

A nova Marina Bay, é o lar de grandes centros comerciais, centros de convenções, hotéis, restaurantes e boates. Mas também abriga o Esplanade – Theatres on the Bay, um centro futurista construido sob a vida cultural de Singapura, onde organizam concertos, performances teatrais , danças, e exposições. Ainda na Marina Bay não se pode deixar de fazer um passeio na Singapore Flyer, a maior roda gigante do mundo (atinge 165 metros).

Outro lugar bem interessante a ser visitado é o Museu Nacional de Singapura, com foco na história e cultura da cidade, na área da Orchard Road, lar de centenas de lojas. Apesar da arquitetura muito moderna, na cidade há também cantos com charmes étnicos, como a tradicional Chinatown e a Little India, onde você vai sentir os cheiros e a atmosfera exótica de duas das maiores comunidades da cidade.

Em Singapura, chove muito, muitas vezes durante o ano. Os meses mais secos são de maio a setembro e esta parece ser a melhor época para visitar.

Dicas para aumentar as vendas em seu restaurante!

Daniel Miranda

O papel de um garçom ou maitre é ser um vendedor de imagem, serviço e produto. Para isso, ele deve conhecer bem o que está vendendo, saber descrever os pratos do cardápio, quais são os vinhos e bebidas da carta e como harmonizá-los.

Deve estar por dentro das reservas do dia para criar um serviço personalizado e, nesse caso, chamar o cliente pelo nome ao menos uma vez durante o almoço ou jantar. Deve buscar reconhecer os clientes habituais e saber suas preferências. Vamos ver duas situações muito corriqueiras num restaurante, onde conhecer do cardápio faz muita diferença.

GARÇOM: “Não vai querer nenhuma entrada não?”
CLIENTE: “Como é esse carpaccio?”
Garçom se aproxima, coloca dedo no cardápio e lê a descrição:
GARÇOM: “É uma carne fatiada com parmesão ralado.”

Esse garçom apenas leu os ingredientes. Mostrou não ter o menor conhecimento do cardápio. Vamos ver a forma ideal de apresentar um prato!

GARÇOM: “Gostaria de uma entrada? Um carpaccio de carne?”
CLIENTE: “Como é esse carpaccio?”
Garçom se aproxima e responde categoricamente:
GARÇOM: “Nosso carpaccio é feito com filet mignon cortado na  na ponta da faca, com lascas de parmesão e um molho de alcaparras com especiarias, uma criação do nosso chefe. Ele é servido com torradas de brioche.”
CLIENTE: “Gostei, vou querer!”

Viu? Quando você conhece o que está vendendo, é possível descrever com mais detalhes, passando segurança. Isso faz toda a diferença na hora da venda!

Dicas para montar uma mesa de queijos

Fonte: saborealquimia.blogspot.com.br

Algumas dicas simples, mas muito importantes:

  • Uma recepção de queijos e vinhos pode ser realizada em qualquer época do ano. Não precisa esperar o inverno para realizar a sua.
  • Não há regras fixas. O que existem são sugestões testadas e aprovadas por pessoas de bom gosto.
  • Convide poucas pessoas. Uma média de 6 a 8 casais já requer um bom trabalho. Se não tiver jeito mesmo, prepare-se para suar a camisa.
  • Os queijos de massa mole (ricota, minas frescal, chèvre fresco) e os de meia cura (brie, camembert, emmental, port salut, tilsit, e gouda) devem ser retirados da refrigeração pelo menos meia hora antes de serem servidos. Já os de massa dura (parmesão, provolone, pecorino e chèvre curado), pelo menos duas horas antes.
  • A colocação dos queijos à mesa deve ser sempre sem as embalagens, sobre tábuas de madeira. Não tire a casca dos queijos de casca dura e não corte os queijos em cubinhos, pois tendem a perder o sabor à medida que o tempo passa.
  • Mantenha uma faca para cada queijo e faça um pequeno corte só para indicar como o queijo deve ser cortado pelo seus convidados.