Resort urbano

A Banyan Tree acabou de abrir o seu primeiro resort em Shanghai. Isso mesmo, em Shanghai! É o primeiro na China e o quarto deste segmento na Ásia. O resort fica localizado na Gongping Lu in Hongkou District, entre prédios e arranha-céus. A propriedade contém 118 apartamentos, 12 suítes, 11 Spas, 3 restaurantes e um rooftop bar. 

As 10 mais visitadas em 2013

Festivais culturais e eventos esportivos lideram a lista das cidades mais visitas em 2013 de acordo com a Lonely Planet.

São Francisco está no topo da lista por sediar a Copa Americana de Yacht. Abaixo, segue a lista com as 10 cidades que serão as mais visitadas no ano que vem.

1. San Francisco, EUA

2. Amsterdam, Holanda

3. Hyderabad, Índia

4. Londonderry, Northern Ireland

5. Beijing, China

6. Christchurch, Nova Zelândia

7. Hobart, Austrália

8. Montréal, Canadá

9. Addis Ababa, Ethiopia

10. Puerto Iguazú, Argentina

Fonte: http://www.lonelyplanet.com/

A pior do mundo

A companhia aérea norte-coreana Air Koryo, que tem a classificação mais baixa na Skytrax, finalmente descobriu a internet.

A empresa estatal, considerada por alguns como “a pior companhia aérea do mundo”, lançou recentemente um site bilíngue (www.airkoryo.com.kp) com o slogan: “mais fácil, mais rápida e de confiança,” de acordo com a própria Air Koryo.

Reservas online estão disponíveis para três rotas: Pyongyang-Shengyang, Pyongyang-Pequim e Pyongyang-Vladivostok.

Baseada no Aeroporto Internacional Sunan em Pyongyang, a Air Koryo é a portadora de apenas uma estrela (de cinco), entre mais de 681 companhias aéreas em todo o mundo.

Segundo a Skytrax, a classificação representa “uma performance de péssima qualidade” que fica abaixo da média da indústria.

Fonte: http://www.cnngo.com/

Mudar a muda para mudar o Vinho

Com as mudanças significativas do clima para produção de vinhos especiais como o vinho do Porto e espumantes, algumas medidas estéticas agrícolas estão sendo estudadas para melhor responder as mudanças climáticas apresentadas todos os anos.

Engenheiros agrônomos, biólogos e enólogos trabalham com afinco para descobrir melhores métodos para a areação da vinha, exposições solares, adubação do solo, inclinação dos bagos e até mesmo novas técnicas de “podas” para uma melhor fotossíntese próximo das vindimas.

O fator “clima e Terroir” continuará sempre a maximizar grande porcentagem na qualidade de bons vinhos e espumantes e caberá ao Homem o trabalho de “lapidar” aquilo que a Natureza nos presenteia em estado bruto.

Em Portugal a empresa líder no mercado brasileiro em vinho do Porto, a Ramos Pinto, apresentou-nos recentemente sua nova estratégia no cultivo e cuidados com a vinha. A Empresa que exporta seus produtos para 85 países já conta com 12 hectares de Quintas em testes.

Sua nova abordagem de cultivo consiste em precaver a menor perda de água possível da vinha nos verões, marcados com grande seca e baixo volume de água das chuvas. Em média 100 litros por metro quadrado na região do Douro, o que é muito pouco.

Portanto, a solução encontrada foi reduzir o tamanho dos arbustos da vinha, fazendo a “esponta” mais baixa para que haja menos área de folha e logo, menos área de perda de água por evaporação. Assim, causa uma maturação mais lenta e num princípio de análise, se a maturação é mais lenta, tende o vinho a ser melhor.

Outras formas mais comumente usadas é a plantação de castas mais resistentes a secas nas vinhas novas, como a Touriga Nacional e a Touriga Francesa, evitando perdas consideráveis. Em um cultivo de vinhas, ter perdas menor do que 25% do total produzido já é muito bom.

Penso que na produção de vinhos nem sempre ‘perder’ significa negativo, especialmente se as uvas apresentadas nestas novas técnicas mostrarem uma boa evolução com o tempo tanto em garrafa quanto em tanques inoxidável. Concluo que quanto melhor for a evolução desses vinhos em seu período de estágio podemos nos surpreender com vinhos que assim, como ‘quase’ sem querer, nascem “Vintages” excepcionais!

Bye e até breve,

David Chaves Saraiva.

Chama garçom

Daniel Miranda

“Você sempre tem que levantar a mão para o garçom te atender? Seus problemas acabaram!” Quando li sobre, achei até que era uma daquelas propagandas das Organizações Tabajara, do Casseta e Planeta. Mas não é não. Uma empresa desenvolveu um sistema em que toda mesa possui um dispositivo que, quando acionado, faz com que o relógio no pulso do garçom vibre e indique a mesa que está chamando. A ideia é acabar com o problema do serviço desatento de bares e restaurantes, mas eu acho um tremendo mau gosto e enorme falta de respeito. E o pior é que já existem estabelecimentos usando o aparelho. Seria muito melhor investir em treinamento e qualificação profissional do que “adestrar” os profissionais de Alimentos e Bebidas.