Servindo de olhos fechados: Como 2 garçons deficientes visuais serviram um evento para 100 pessoas.

Daniel Miranda

Semana passada tive uma das maiores experiências da minha vida. Pra ser mais exato, no dia 23 de Março, sexta-feira, aconteceu um evento no Palácio da Cidade em parceria entre o Rio Inclui e a ONG Entre Amigas. Esse projeto tem como objetivo incluir jovens  de baixa renda e pessoas com necessidades especiais através de cursos profissionalizantes no mercado de trabalho.

Nesse dia foi a formatura de uma das turmas, com a presença da Primeira Dama entre outros envolvidos. Representando o Grupo Monteiro Drummond em parceria com a Masan, fui coordenar a equipe de garçons para a realização do serviço de banquete no evento. Lá conheci Fátima Freitas, presidente da CEDICOM (Centro de Integração Comunitária) e acompanhando ela, duas pessoas que me marcaram muito.

 

.

Essa dupla de deficientes visuais vieram fazer parte da equipe de garçons. E não é que eles deram um show de serviço!?!?!?! Eles pediram apenas pra mostrar o caminho entra a cozinha e o salão. Depois disso, iam sozinhos para servir e buscar novos pratos. E o caminho não era curto não! A cozinha do Palácio é gigante, cheia de portas pesadas e curvas até chegar ao salão. Esses dois deram um show de amabilidade, cordialidade e serviço (melhores que muitos garçons por aí!!!). No final, vieram me agradecer por tê-los ensinado a trabalhar em eventos, mas quem aprendeu e aprendeu muito nesse dia, fui eu.

Anúncios

A Vodka mais cara do mundo!!!

Sofisticação, elegância e detalhes no processo de destilação elegem Diva como a vodka mais cara e exclusiva do mundo. Produzida na Inglaterra, chega ao Brasil através da Praeda Importadora, representante de marcas consagradas no mercado de bebidas de luxo.

A Vodka Diva passa por um processo de tripla destilação, primeiro no gelo, depois em carvão vegetal produzido por uma madeira de origem nórdica e então filtrada em areia fina composta por cristais.  O envasamento é artesanal, já que cada garrafa traz em seu interior uma varinha contendo 48 pedras preciosas ou semipreciosas, como topázios, turmalinas, ametistas, rubis e diamantes, que se destacam através da transparência da bebida.

Graduação alcoólica 40%. Embalagem 700ml.  

Preços médios:

Diva Swarovski – R$ 2.000,00

Diva Rubi – R$ 450.000,00

Diva Diamante – R$ 1.900.000,00

Quem diria que a China se renderia ao luxo e aos serviços supérfluos de um cinco estrelas?

O Peninsula, que originou-se em Hong Kong com um dos mais aclamados serviços de hotel do mundo, se instalou em Shanghai com pompa e circunstância.

Convocaram Pierre Yves Rochon, interior designer de hotéis como o George V e Shangrila Paris, para criar um ambiente déco num prédio a beira do Bund, com vista magnífica para os arranha-céus de Pudong. Mas como nem tudo é perfeito, o francês pesou um pouco a mão no lobby e no restaurante principal. Ficou um cadinho over e o restaurante ficou um tanto quanto… carregado. No mais tudo ok.

Spa com produtos da ESPA e piscina aquecida com 25m de comprimento. Cardápio de carros para buscar e levar hóspedes no aeroporto, que vão desde um “básico” BMW série 7 a uma frota de quatro Rolls Royce. Que tal? As frescuras não param por aí. Todos os automóveis são equipados com Wifi gratuito e trazem um laptop para você navegar na internet no meio do transito de Shanghai. Chique né?

As suítes, que por sinal são mega espaçosas, têm 6 telefones. Isso mesmo. SEIS aparelhos pros hóspedes não deixarem de atender nenhuma ligação. O hotel utiliza sistema de voip, tornando gratuitas todas as chamadas locais e internacionais. Elas têm ainda: impressora, máquina de Nespresso e complimentary (gratuito) minibar durante toda a estada. E pra arrematar, um secador de unhas automático. Basta posicionar os dedos sob o compartimento apropriado para a função, apertar o botão e pronto. Em poucos minutos unhas secas. Como alguém pode ter vivido até hoje sem isso? Rsrs.

Piso do banheiro aquecido, televisão embutida no mármore em frente a banheira e um walk in closet que cabe uma king size bed dentro.

E se fizerem um filme do 007 em Shanghai esse vai ser o hotel certo para ele se hospedar. Apesar de clássico, ele é totalmente high tech. Botões e comandos por todo lado.

Prefere um ambiente mais seco ou úmido? Pois os comandos do quarto permitem regular a umidade do ar. O sistema de luz foi concebido para criar diferentes cenários. Da banheira ou do chuveiro, basta apertar o botão e o sistema de viva voz do telefone é acionado. Entrada para ipod e um visor digital que indica a temperatura externa, assim você sabe que roupa vai vestir antes de sair. Num armário falso dentro do closet, você coloca suas roupas sujas, aperta um botão e tacham tcham tcham tcham… elas desaparecem misteriosamente. É que o mordomo retira pelo lado de fora do armário por uma saída secreta. Acabou-se aquela coisa de pendurar o saco de lavanderia do lado de fora da porta.

O Peninsula Arcade mostra a direção do consumo chinês: Prada, Zegna, Armani e cia ltda, além da maior loja da Chanel na China.

O restaurante chinês é excelente e tem mesa própria para a cerimonia do chá. Se der, procure Teddy Leung pois ele é o Tea Master do hotel. Ele é o cara!

Hospedado ou não no Peninsula, você não pode deixar de ir ao Salon de Ning. Boite que fica no subsolo do hotel com cenário de cabaret surrealista, que tem até um King Kong gigante para te receber na porta.

Jayme Drummond

Não sou mais paraíba. Sou south american!

Caiu a ficha dos EUA, que vai facilitar o visto para turistas brasileiros. Nosso rico dinheirinho não vai salvar, mas pode ajudar bastante a economia americana.

Os brasileiros têm de passar por um inferno burocrático na hora de viajar para lá. Muitos já enfrentaram aborrecimentos, sendo tratados como potenciais imigrantes ilegais. Estava na hora de os EUA começarem a rever isso, porque não faz sentido.

O presidente Obama falou em abrir as portas: quanto mais visitantes forem para os EUA, mais empregos serão criados. Está falando o óbvio, mas nem sempre o óbvio foi dito nos EUA.

O processo de renovação do visto deverá ser mais simples; o tempo de espera poderá ser reduzido.
O Brasil tem déficit grande na conta de turismo, mais brasileiros vão para o exterior do que estrangeiros vêm para cá. A moeda brasileira está forte, o que faz com que o gasto lá fora pareça barato para nós. Nesse momento, temos de pensar no que estamos fazendo de errado que impede a vinda de mais estrangeiros.

Os EUA estão fazendo o dever de casa, a parte deles, reduzindo a burocracia. Um obstáculo era o tratamento ruim dado ao brasileiro, a demora, a lentidão na concessão do visto. Nós temos de saber o que está impedindo a vinda de estrangeiros para o Brasil. O país precisa investir bastante na infraestrutura de hotelaria, por exemplo.

Fonte: http://oglobo.globo.com

Vinho espacial envelhecido com fragmento de asteroide!!!

Astrônomo e vinicultor britânico, Ian Hutcheon uniu suas duas paixões para produzir o primeiro vinho do mundo envelhecido com meteorito. O fragmento de asteroide, de cerca de 4,5 bilhões de anos, foi encontrado no deserto de Atacama e usado pela vinícola Hutcheon’s Tremonte, que fica no vale de Cachapoal, no Chile, no envelhecimento de um Cabernet Sauvignon. “A ideia de submergir o meteorito no vinho é dar a oportunidade de todos poderem tocar algo vindo do espaço. Quem beber este vinho estará em contato com elementos do nascimento do sistema solar”, explicou Hutcheon.

Fonte: Revista Adega